Dados Gerais

Caracterização do Município

Localização: Sul de Minas

Microterritório: São Lourenço

Área: 100,48 Km²

Temperatura máxima anual: 27,1°C

Índice pluviométrico anual: 1568,9 mm

Bioma: Mata Atlântica

A região oferece momentos de relaxamento, lazer e bem-estar. São diversos parques e balneários para banhos, massagens e harmonia com o corpo e a mente.

Situada no planalto da Serra da Mantiqueira, Caxambu tem uma localização privilegiada e está próxima de três importantes capitais: São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, constituindo um portal de entrada do turismo para a microrregião.

Localizada no Sul de Minas Gerais, Caxambu é considerada a mais tradicional Estância Hidromineral do país, atraindo turistas de vários estados.

A cidade possui um conjunto arquitetônico e paisagístico de rara beleza. Além do charme de suas ruas e hospitalidade de sua gente. Boa comida, bons hotéis e o aconchego próprio das cidades do interior de Minas Gerais.

Aspectos físicos

Historicamente, as águas minerais que jorram ininterruptamente em nossas fontes, são indicadas para tratamento de diversos males. Além disso, a água mineral de Caxambu é considerada como uma das melhores águas de mesa do mundo.

O município de Caxambu insere-se na mesorregião geográfica de planejamento denominada Sul/Sudoeste de Minas, microrregião de São Lourenço, sob coordenadas 21º58’20’’ de latitude S e 44º56’20’’ de longitude W.

Situado numa altitude de 904 metros com área total de 100,50 Km², Caxambu faz divisas com os municípios de Baependi (NE), Conceição do Rio Verde (NW), Soledade de Minas (W) e Pouso Alto (S). É composto por distrito Sede e as localidades de Morro Queimado, ao norte, e Morro Cavado, ao sul.

Os meios de acesso ao município (Mapa 1), tanto estaduais quanto federais, encontram-se bem sinalizados e em bom estado de conservação do pavimento. Caxambu encontra-se a 350 km de Belo Horizonte, ligação feita pela BR-381 (Rodovia Fernão Dias); a 250 km do Rio de Janeiro pela BR-116 e a 300 km de São Paulo, cujo acesso se dá através da BR-381.

O substrato geológico de Caxambu é composto por metassedimentos do grupo Andrelândia. Na porção sudoeste há ocorrência de rochas xistosas e porções de quartzitos muito alterados em todo o município. Uma geologia variada e com diferentes influências possibilita o processo de mineralização das águas. Este processo solubiliza os minerais e, quanto maior o tempo de interação água-rocha, maior a mineralização. Consequentemente, a composição das rochas aquíferas é um dos principais fatores responsáveis pelas características químicas encontradas nas águas minerais (COMIG/CPRM, 1999).

Meios de acesso a Caxambu.

Caxambu encontra-se inserido no compartimento geomorfológico de Planaltos e Serras do Atlântico leste e sudeste. A porção sul do relevo do município recebe a influência da Serra da Mantiqueira. Com isso, o relevo é mais acidentado com altitudes na faixa dos 1.240 metros próximo da nascente do ribeirão da Cachoeirinha ou João Pedro. Ao Norte, são encontrados afloramentos de granito-gnaisse e cristas de quartzito, conformando a Serra do Morro Queimado, divisor de águas entre o ribeirão Taboão e o rio Baependi. A porção central caracteriza-se por um relevo mais suavizado pela ação do clima em rochas menos resistentes, predominando as colinas de topo aplainado com vertentes côncavas e convexas.

Os Cambissolos ocupam a maior abrangência espacial do município. Geralmente, ocorrem em locais com declividades mais elevadas e são muito erosivos (EMBRAPA, 2004). Desta forma, são susceptíveis a problemas ambientais como elevadas perdas materiais e contaminações hídricas devido ao elevado teor de silte. O uso agrícola apresenta limitações já que existem problemas para a trafegabilidade de máquinas além da alta erodibilidade.

O clima de Caxambu é subtropical moderado úmido, também chamado tropical de altitude ou Cwb, pela classificação de Köppen. A temperatura média dos meses mais quentes é 22º e dos mais frios, 15º, apresentando duas estações bem distintas: verão quente e úmido e inverno frio e seco. A precipitação média anual é de 1.470 mm.

A vegetação é determinada pela transição entre Mata Atlântica e Cerrado, contínua em todo o território. As florestas remanescentes encontram-se fragmentadas com diferentes estágios de sucessão e distintos graus de preservação. Os principais usos da terra estão relacionados à mineração, pecuária mista, minhocultura, silvicultura, fruticultura, cafeicultura e produção de grãos (milho e feijão). A estrutura fundiária do município ainda conserva características do auge da produção de café, sendo que 18 propriedades com mais de 100 ha (14% do total de propriedades) ocupam 58% da área territorial do município (EMATER, 2003).

Texto: Mariana Gravina Prates Junqueira
Secretaria de Turismo e Cultura