Esqueceu seus detalhes?

PREV
NEXT

Noel Rosa

Noel de Medeiros Rosa, nascido no Rio de Janeiro em 1910 foi um sambista, cantor e compositor.

Bandolinista, violonista brasileiro e um dos maiores artistas da música no Brasil.

Noel Rosa passou alguns dias em Caxambu, a qual era muito frequentada pela elite carioca e compôs uma belíssima canção chamada "Chuva de Vento" em homenagem ao Carnaval Caxambuense.

Chuva de Vento

(Compositor: Noel Rosa)

Chuva de vento
É quando o vento dá na chuva
Sol com chuva,
Céu cinzento
Casamento de viúva

Zeca Secura
Da fazendo do Anzol
Quando chove não vê sol
Vai comprar feijão no centro
Bebe dez litros
De cachaça em meia hora
Pra agüentá chuva por fora
Tem que se molhar por dentro

Vento danado
É aquele lá de Minas
Sopra em cima das meninas
Diverte a população
Até os velhos
Vão correndo pras janelas
Pra ver se alguma delas
Já usa combinação

Faz sol com chuva
Tem viúva lá da Penha
Não há viúva que tenha
Tantos pretendente junto
Nessa corrida
Da viúva de seu Mário
Quem for vencedor do páreo
Ganha resto de defunto

Quem nunca viu
Chuva de vento à fantasia
Vá em Caxambu de dia
Domingo de carnaval
Chuva de vento
Só essa de Caxambu
Domingo chove chuchu
E venta água mineral

Um Zé Pau d'Água
Tem um amigo parasita
Não trabalha e sempre grita:
Viva Deus e chova arroz!
Gritando assim
Do seu povo ele se vinga:
Viva Deus e chova pinga
Que o arroz nasce depois.

Só essa de Caxambu
Domingo chove chuchú
E venta água mineral!
Um Zé Pau d’água
Tem um amigo parasita
Não trabalha e sempre grita:
“Viva Deus e chova arroz!”
Gritando assim
Do seu povo ele se vinga
Viva Deus e chova pinga
Que arroz nasce depois
Chuva de vento
Muita gente desconfia
Dessa chuva fantasia
Que eu vi em Caxambu
Se o espanhol
Cantar a dele não me ganha
Vai dizer que na Espanha
Chove bala pra chuchú!

Chuva de Vento (Noel Rosa)

Confira o áudio da música composta em homenagem ao Carnaval Caxambuense

TOPO